Pole dance emagrece, fortalece os braços e deixa a barriga chapada

O pole dance é uma dança ou um exercício físico? Os adeptos dos movimentos feitos ao redor da barra vertical de metal dizem que a modalidade deixou de ser um ícone da sensualidade e passou a ser uma ótima estratégia para quem quer deixar o corpo em forma. Afinal, é preciso muita força para conseguir sustentar o corpo todo apenas pelo contato das mãos ou das pernas no poste.

Uma aula inclui giros ao redor da barra, mas também abdominais com apoio no poste. Tudo de acordo com o condicionamento físico do praticante, o que torna o pole dance um exercício físico bom para qualquer pessoa. Mas desde que não tenha restrições médicas, como a labirintite ou hérnias de disco, por exemplo. A seguir listamos as vantagens da modalidade, empolgue-se e vá girar!

Pole dance - foto: Getty Images

Fortalece o corpo todo de uma vez só

Segundo a instrutora de Pole Dance Cristina Longui, de São Paulo (SP), a atividade fortalece todos os músculos de uma vez só. “O próprio praticante percebe isso no dia seguinte à prática, quando todos os músculos terão aquela dor característica do pós-exercício no corpo inteiro”, explica. Afinal, a atividade é uma verdadeira luta contra a gravidade. A educadora física Grazzy Brugner, instrutora de pole dance em Curitiba (Paraná), explica que para se manter preso à barra, o praticante deve realizar isometria de praticamente todos os músculos do corpo, ou seja, eles terão que se manter contraídos para que o movimento seja bem executado e compense a gravidade. Não entendeu? Imagine, por exemplo, executar um giro: o corpo é que ditará o trajeto e a velocidade com que ele será feito ao redor da barra, além, claro, da beleza do movimento. O resultado equivale a muita musculação: o corpo todo ficará tonificado após aproximadamente três meses do início da prática.

 Barriga Chapada - foto: Getty Images

Braços firmes

Por fortalecer todos os músculos do corpo, o pole dance é considerado uma atividade completa, mas existem dois grupos musculares que ganham destaque no exercício. O primeiro deles é composto pelos músculos do braço, principalmente o tríceps (o famoso músculo do tchau) e o bíceps (localizado próximo ao ombro, é o músculos mais visível do braço). O foco nesses músculos provém da forma como os exercícios são executados: a maioria deles pede o apoio das mãos na barra para que o corpo seja sustentado.

“É importante que o praticante direcione essa força aos braços, que são mais fortes que os antebraços, evitando lesões como tendinites na região”, explica Grazzy Brugner. Os antebraços servem apenas como apoio, sem descarga de peso, enquanto a musculatura do braço faz contração máxima.

 Barriga Chapada

O segundo grupo muscular que ganha destaque é composto pelos músculos abdominais: abdominal reto, oblíquos, infra abdominais e até o transverso do abdômen, que é mais profundo.

“A contração do abdômen é o que mantém o corpo em equilíbrio, caso ele esteja relaxado o corpo não será sustentado no ar”, explica Grazzy Brugner. Além disso, as aulas de pole dance contam com exercícios para ganho de massa muscular na região, justamente para facilitar a execução dos movimentos. Um deles é o abdominal aéreo, em que o praticante segura-se à barra com os braços e eleva as pernas, trabalhando abdômen e braços ao mesmo tempo.

Pole dance - foto: Getty Images

Queima calorias e emagrece

Além de todo o fortalecimento dos músculos, o pole dance também gasta uma boa quantidade de calorias. Segundo a educadora física Grazzy Brugner, cada hora de aula gasta entre 400 e 700 calorias, de acordo com a intensidade do exercício. Isso torna o pole dance um exercício que fortalece, usando o peso do próprio corpo, e emagrece ao mesmo tempo. Ou seja, você pode trocar duas horas entre musculação e esteira por uma hora de pole dance.

flexibilidade  - foto: Getty Images

Dá flexibilidade

“Para executar os movimentos de maneira cada vez mais bonita, as praticantes são estimuladas a atingir uma amplitude de abertura de braços e pernas cada vez maior”, explica Grazzy Brugner. Dessa forma, o alongamento está presente em praticamente toda aula. Além disso, os movimentos também envolvem flexibilidade de tronco, pois diversos movimentos pedem a inclinação do tronco para frente, para trás e para os lados.

Pole dance - foto: Getty Images

Eleva a autoestima

O exercício não é dos mais fáceis, mas quem persiste sente os benefícios por dentro e por fora. “O pole dance desenvolve a autoconfiança do praticante, uma vez que ele consegue realizar movimentos que não imaginava ser capaz”, explica Grazzy Brugner. “Além disso, acompanhado de bons hábitos – como a alimentação equilibrada -, o pole dance pode transformar seu corpo”. Segundo Cristina Longui, o pole dance é um exercício que, por si só, é sensual. Para algumas mulheres ele pode trazer à tona uma nova visão sobre o próprio corpo. “Ela se vê numa situação diferente do cotidiano, é um momento de autoconhecimento”.

Ginástica - foto: Getty Images

O treino é individualizado

As aulas de pole dance geralmente são feitas em grupos pequenos, o que permite que o professor fique atento a você e recomende exercícios adequados ao seu estágio, habilidades e limitações, diminuindo também os riscos de lesões. As aulas evoluem gradualmente: “o exercício com pole dance começa com a adaptação ao poste e os giros, em seguida vêm as primeiras escaladas – subidas na barra- e depois os exercícios mais complexos, como o giro de costas”, explica Cristina Longui.

fonte: minhavida.com.br

Gostaram do artigo? Compartilhem com as amigas!

Grande beijo!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *